segunda-feira, 11 de abril de 2011

O Bosque encantado

 Dizem que, há muitos anos, num longínquo país, existiu um bosque encantado. A jovem princesa daquele reino, desobedecendo aos conselhos dos mais velhos, decidiu visitá-lo.
Montada em seu cavalo branco, deu de cara com um jovem lenhador, chamado Daniel:
- Não vá mais adiante, princesa, ou nunca mais voltará.
Como era muito audaciosa, ela esporeou seu cavalo e entrou na mata espessa.
Os dias se passaram sem que ninguém soubesse da princesa.

- Darei a mão de minha filha e o governo do reino a quem me devolvê-la sã e salva.   - ofereceu o soberano.
O lenhador Daniel pegou sua flauta e seu machado e embrenhou-se no bosque, chamando pela princesa.
- Estou prisioneira do velho carvalho! - ouviu-a gritar.
O rapaz correu até o local e começou a dar machadadas no tronco, mas seus potentes golpes não serviam para nada.


Uma voz cavernosa, a do carvalho, disse:
- Nunca conseguirá me derrubar. Estava farto de minha solidão e apoderei-me da princesa. Vá embora daqui!
- Velho carvalho, se o que quer é companhia, eu a conseguirei para você.
E começou a tocar em sua flauta uma melodia tão bela,  que os pássaros, que nunca vinham a este lugar tão sombrio, invadiram até mesmo os galhos do carvalho. E todos juntos começaram a cantar.
 
 

- Lenhador, você me proporcionou companhia e lhe devolverei a princesa.


Ouviu-se o som de galhos partidos e a princesa, comovida, estendeu a mão a Daniel.



Os jovens foram felizes e o povo teve um rei prudente e honrado.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário