sexta-feira, 8 de abril de 2011

A importância da leitura



  "A leitura é muito mais do que uma simples relação dos olhos com os livros... A leitura é um espaço, um lugar predileto, uma luz escolhida, um ritual em que importa até a época do ano." (Luis Garcia Montero)


  "Uma boa leitura dispensa com vantagem a companhia de pessoas frívolas." (Marquês de Maricá)

   Propor atividades constantes de leitura facilitará também o processo de escrita. Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa (2000, p. 53),

   O trabalho com a leitura tem como finalidade a formação de leitores competentes e, consequentemente, a formação de escritores, pois a possibilidade de produzir textos eficazes tem sua origem na prática da leitura, espaço de construção da intertextualidade e fonte de referências modelizadoras. A leitura, por um lado, nos fornece a matéria - prima para a escrita: o que escrever.  Por outro lado, contribui para constituição de modelos: como escrever.

   O professor tem que ter consciência que formar um aluno efetivamente leitor, é muito mais que ensiná-lo a apenas decodificar as letras e formar palavras, de acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais da Língua Portuguesa (2000, p. 54)

  Formar um leitor supõe formar alguém que compreenda o que lê; que possa aprender a ler também o que não está escrito, identificando elementos implícitos; que estabeleça relações entre o texto que lê e os outros já lidos; que saiba que vários sentidos podem ser atribuídos a um texto; que consiga justificar e validar a sua leitura a partir da localização de elementos discursivos.




  O professor deve fazer leitura diária de textos literários, pois é por meio deste contato diário, freqüente e constante que permite que os alunos desenvolvam ainda mais autonomia para a leitura e para que percebam que ao fazer uma leitura de um texto além de se aprender muito, enriquecer o vocabulário, é possível buscar também entretenimento, diversão e prazer Kleiman (apud RANGEL 2004, p.4) defende que

   Ensinar a ler, é criar uma atitude de expectativa prévia com relação ao conteúdo referencial do texto, isto é, mostrar à criança que quanto mais ela previr o conteúdo, maior será sua compreensão; é ensinar a criança a se auto-avaliar constantemente durante o processo para detectar quando perdeu o fio; é ensinar a utilização de múltiplas fontes de conhecimento – lingüísticas, discursivas, enciclopédicas  e ensinar, antes de tudo, que o texto é significativo  e isso implica em ensinar não apenas um conjunto de estratégias, mas criar uma atitude que faz da leitura a procura da coerência.


  “Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.”
Bill Gates


Os contos de fadas






Os contos de fadas são de suma importância para construção da identidade de uma criança. é por meio dos personagens que sofrem e superam os obstáculos, que são "felizes para sempre", as crianças conseguem aprender a lidar com seus medos, angústias, alegrias, problemas, etc...



O meu preferido é o da Bela e a Fera, esse ódio que se tranforma em amor, que supera todas as expectativas, inclusive a aparência física, mostrando que em qualquer situação devemos enxergar além do alcance, tentando transformar a vida das pessoas com simples gestos e olhares.




A Bela E a Fera


Sentimentos são
Fáceis de mudar
Mesmo entre quem
Não vê que alguém
Pode ser seu par

Basta um olhar
Que o outro não espera
Para assustar e até perturbar
Mesmo a Bela e a Fera

Sentimento assim
Sempre é uma surpresa
Quando ele vem
Nada o detém
É uma chama acesa

Sentimentos vêm
Para nos trazer
Novas sensações
Doces emoções
E um novo prazer

E numa estação
Como a primavera
Sentimentos são
Como uma canção


Para a Bela e a Fera
Sentimentos são
Como uma canção
Para a Bela e a Fera




Um comentário: