quarta-feira, 20 de abril de 2011

Dia do Disco de Vinil

  No mês de abril há muitas datas comemorativas, dia 19, por exemplo, é o Dia do Índio, dia 21 é Dia de Tiradentes. O que poucos sabem é que entre essas duas famosas datas há espaço para um 20 de abril em que se comemora o Dia do Disco.
Ataulfo Alves
  Isso mesmo, aquele velho “ bolachão”, do qual poucos ainda fazem uso hoje em dia e algumas crianças sequer conhecem, ganhou um dia comemorativo. A data foi escolhida por ser o dia do aniversário da morte do cantor e compositor brasileiro Ataulfo Alves.
  Mas, você conhece a história deste símbolo musical? Os discos de vinil foram desenvolvidos no início da década de 1950. O nome vinil vem do material plástico utilizado na sua produção. Material delicado que requer cuidados especiais. Não se pode, por exemplo, deixar poeira sobre o vinil.
  O disco possui ranhuras na forma de espiral. Esse formato faz com que a agulha do toca-disco percorra o caminho da borda até o centro, fazendo a leitura da gravação. Além disso, as ranhuras produzem uma vibração na agulha. Essa vibração vira sinais elétricos, que são transformados em música.
Disco de vinil (LP)
  O tipo mais comum do disco de vinil é o LP, abreviatura de Long Play, que tem o formato de um círculo com 31 centímetros de diâmetro. Os dois lados do disco são gravados sendo que, cada um, tem capacidade para cerca de 20 minutos de música.
  Outros vinis menos conhecidos são o EP, que tem 17 cm de diâmetro e cerca de 8 minutos de música em cada lado e o single, disco também de 17 cm de diâmetro, com capacidade musical de cerca de 4 minutos. Este tipo de disco era muito usado por artistas para publicar e divulgar prévias de seus trabalhos.
  Bem, hoje em dia os vinis são raridades. Deixaram de ser comercializados há mais de 15 anos no Brasil e só são encontrados em lojas especializadas ou através de colecionadores. Seus sucessores, CDs e DVDs tornaram-no obsoleto, já que trouxeram muito mais praticidade à maneira de ouvir música, além da capacidade muitas vezes superior de armazenamento de dados.

  Mas, amantes da música ainda afirmam que a qualidade musical que os “bolachões” proporcionam é, sem sombra de dúvidas, muito melhor do que o que toda a tecnologia atual pode nos proporcionar.
  Você concorda?

Nenhum comentário:

Postar um comentário