sexta-feira, 1 de abril de 2011

"Baú da Poesia"

                       CRIANÇAS
                                  Figueiredo Pimentel

          Eu gosto dessas crianças
          dessas cabeças douradas,
          que vivem rimando esperanças,
          e que acreditam em fadas.

          São como a luz mal segura,
          que eu vejo, de manhã cedo,
          brincar na verde frescura
          d'algum copado arvoredo.

          Mas a mão da Providência,
          que aos troncos nus deu a hera,
          deu-lhe ele a casta essência
          deu-lhe o divino esplendor,
          que é nos campos primavera,
          e que é nas almas amor.


                            Fonte: Álbum das Crianças - Livraria Quaresma - 1958

Nenhum comentário:

Postar um comentário