quarta-feira, 23 de março de 2011

O dia Mundial da Meteorologia

Dia Mundial do Meteorologista
A data de 23 de março foi escolhida como o Dia Mundial do Meteorologista por ser a data de fundação da Organização Mundial de Meteorologia (WMO) da ONU, em 23 de março de 1950. A Organização, que tem sede em Genebra, na Suíça, trabalha como facilitadora mundial, estabelecendo por exemplo as bases das contribuições da Meteorologia para a conservação dos recursos hídricos do planeta, para a identificação das causas e para o combate à desertificação, nas causas das mudanças climáticas, no manejo das reservas hídricas das megacidades e regiões agrícolas, alguns dos principais problemas que estão afetando a vida do planeta.
O tema escolhido pela WMO em 2003 para comemorar a data foi "Nosso clima futuro" (Our future climate).

O que é Meteorologia?

Em todas as atividades que fazem parte do nosso cotidiano existe a influência das condições do tempo. É só pensar nas nossas viagens (terrestres, aéreas e marítimas), no plantio e na colheita, em todas as nossas atividades ao ar livre. Nesses momentos, a gente nem lembra que existe um monte de técnicos altamente especializados, observadores e cientistas que, apoiados pela moderna tecnologia, trabalham dia e noite para pesquisar e prever as condições do tempo que vamos enfrentar. E que este serviço muitas vezes tem salvado vidas, quando prevê por exemplo as nevascas e os tornados.
A meteorologia é o estudo científico da atmosfera em escala global, dentro de regiões e em localidades específicas, e a formulação de conclusões que permitem o conhecimento sobre os fenômenos atmosféricos e as previsões sobre o tempo.

Como e o que estudam os meteoerologisas

Existe o curso técnico, em nível de 2ºgrau, que forma esse profissional. O Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, CEFET, no Rio de Janeiro, tem o curso técnico público e pioneiro desse tipo no Brasil
O curso técnico ensina todas as matérias de um curso superior e difere deste apenas no grau de aprofundamento.
O bacharelado em Meteorologia tem quatro anos de duração e é oferecido pelo Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, pela Universidade Federal do Pará, pela Universidade Federal da Paraíba, pela Universidade Federal de Alagoas e Universidade Federal de Pelotas (RS).
Nos dois primeiros anos se estudam as disciplinas (Física, Cálculo e Computação). Depois, entram as matérias específicas de Meteorologia. A profissão é regulamentada pela Lei Federal nº 6835/80. Os profissionais de nível médio e superior são filiados ao Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.
Um curso de extensão universitária é dado pelo Laboratório de Meteorologia da Universidade Federal do Vale do Paraíba, UNIVAP, em São José dos Campos, São Paulo.

O que faz um profissional de meteorologia

Executa previsões meteorológicas, dirige e orienta projetos científicos, pesquisa e avalia recursos naturais da atmosfera; dirige órgãos e serviços públicos e privados de meteorologia; pesquisa, planeja e dirige a aplicação da Meteorologia nos diversos campos da sua utilização; julga e decide sobre tarefas científicas e operacionais de Meteorologia.
É uma recente área interdisciplinar com oportunidades para profissionais e pesquisadores. No Brasil é uma atividade em desenvolvimento e oferece possibilidades de emprego em instituições privadas e governamentais.

A meteorologia tem história

O termo surgiu quando o filósofo grego Aristóteles, em torno de 340 a.C., à sua maneira filosófica e especulativa, escreveu um livro sobre filosofia natural denominado Meteorológica, falando sobre o tempo, o clima, sobre astronomia, geografia e química. Falava de nuvens, chuva, neve, vento, granizo, trovões e furacões. Naqueles dias, tudo o que caia do céu e qualquer coisa vista no ar era chamada de meteoro, daí o nome meteorologia.
As idéias de Aristóteles se mantiveram aceitas por quase dois mil anos. De fato, o nascimento da meteorologia como uma ciência natural genuína não aconteceu até a invenção dos instrumentos meteorológicos (os termômetros, no fim do século XIV, o barômetro, para medir pressão atmosférica, em 1643, e o higrômetro, para medidas de umidade, no final do século XVIII).
A invenção do telégrafo, em 1843, permitiu a transmissão das observações rotineiras do tempo.
Depois, cartas sinóticas simples ("cartas de tempo") foram traçadas.
Em torno de 1920, os conceitos de massa de ar e frentes foram formulados na Noruega.
Na década de 40, as observações diárias de temperatura, umidade e pressão, feitas com radiossondas (balões de ar superior), deram uma visão tridimensional da atmosfera.
Com os computadores, na década de 50, a Meteorologia deu outro salto, e passou a resolver equações que descrevem o comportamento da atmosfera. Em 1960, o Tiros I, o primeiro satélite meteorológico lançado, colocou a Meteorologia na era espacial.
Os satélites estão capacitados a suprir os computadores com uma série de dados sobre todo o globo com previsões cada vez mais confiáveis
Fonte: www.ibge.gov.br
Dia Mundial do Meteorologista

23 de Março

Meteorologista
A chuva, as nuvens, o vento, as condições da atmosfera em geral e suas mudanças cotidianas são conhecidas globalmente como tempo atmosférico. Os fenômenos meteorológicos, causados por fatores internos ao sistema terrestre e fatores astronômicos externos, determinam as variações no tempo e no clima. A meteorologia é, portanto, a ciência que registra essas variações e procura prever o tempo.
Atualmente, a meteorologia ocupa um lugar de destaque nas atividades humanas. A capacidade de prever os fenômenos meteorológicos intensos - tais como terremotos, furacões, erupções vulcânicas, chuvas intensas, períodos de secas e de temperaturas extremas - determina o sucesso ou o fracasso de muitas das ações humanas.
A investigação de todos esses fenômenos atmosféricos é feita pelos observatórios meteorológicos, que são instalados em locais isolados, longe de edifícios e de árvores que possam influir na exatidão das medições. As observações devem ser precisas, e a utilização de unidades - padrão é necessária para que sejam comparadas com as medições feitas em outros lugares. Quase todas as observações são realizadas na superfície do solo, mas podem ser montados instrumentos de observações em balões, que se elevam na atmosfera e transmitem as leituras da Terra pelas ondas de rádio.
Os observatórios meteorológicos terrestres, instalados em barcos ou aviões, coletam várias vezes ao dia, milhões de dados sobre o tempo, os quais são introduzidos em uma rede de comunicações gigantesca chamada Sistema Planetário de Telecomunicações. A informação é enviada ao mundo todo por satélite, rádio e cabo.
Dessa maneira, os meteorologistas obtêm desse sistema os dados necessários para realizar as previsões locais. A informação é fornecida primeiro em um gráfico numérico, que mostra a situação global do tempo. As previsões são realizadas quando os meteorolistas utilizam seus conhecimentos sobre o comportamento da atmosfera, com a ajuda de computadores que demonstram o que ocorreu na última vez que se anunciaram condições semelhantes.
Os institutos de meteorologia têm uma grande e longa tradição para salvaguardar as populações. Mais recentemente, em conseqüência das recomendações da Agenda 21 da Conferência Mundial das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Eco-92, novos desafios foram suscitados num adequado apoio às atividades socioeconômicas mundiais. A missão dos institutos de meteorologia é servir aos interesses dos cidadãos mediante o fornecimento de avisos e informações para salvaguardar vidas e bens, reduzir os impactos dos desastres naturais, proteger a qualidade do meio ambiente e atuar junto à defesa nacional dos países.
Fonte: www.paulinas.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário